Equipe Multidiciplinar para Tratamentos de Transtornos Alimentares

Bulimia Nervosa

 

A Bulimia Nervosa é uma doença que pode variar de leve a extremamente grave, bem como pode se tornar crônica. Ocorre principalmente em mulheres (90%), entre 18 a 23 anos. Mais rara em homens. É comum apresentar-se com outras doenças psiquiátricas como depressão, transtornos de ansiedade, dependência química e também transtornos de personalidade, determinando nestes casos uma maior gravidade do quadro.

 

Os critérios essenciais para o diagnóstico da bulimia nervosa são:

 

  • Episódios recorrentes de compulsão alimentar;
  • Comportamentos compensatórios, inapropriados e recorrentes na tentativa de impedir o ganho de peso;
  • A compulsão alimentar e os comportamentos compensatórios inapropriados devem ocorrer no mínimo 1x/semana por 3 meses;
  • Auto-avaliação indevidamente influenciada pela forma e pelo peso corporais.

A compulsão alimentar é definida como a ingestão em um período de tempo determinado (por exemplo: duas horas) de uma quantidade de alimentos definitivamente maior do que a maioria das pessoas comeria em um mesmo período de tempo, em circunstâncias semelhantes, acompanhada da sensação de falta de controle sobre o episódio.

 

As pessoas que sofrem de bulimia sentem vergonha de seu comportamento alimentar. Os episódios de compulsão alimentar e os comportamentos compensatórios geralmente ocorrem às escondidas. O comportamento compensatório mais comum é o vômito auto-induzido, que pode com o tempo tornar-se um fim em si mesmo ou aquilo que de certa forma “autoriza” a compulsão a ocorrer. Outros comportamentos compensatórios podem ser: abuso de laxantes, diuréticos e medicamentos para emagrecer, jejum, e excesso de exercícios físicos.

 

As consequências resultantes dos quadros de bulimia nervosa incluem arritmia cardíaca, ossos e dentes frágeis, mal funcionamento dos rins e do aparelho digestivo, e por vezes alterações metabólicas que podem levar à morte. A causa da bulimia ainda é desconhecida, mas sabemos que fatores genéticos, psicológicos, traumáticos, familiares, sociais e culturais contribuem para o seu aparecimento.

 

Os pais e responsáveis devem estar atentos a alguns sinais como:

 

  • Preocupação excessiva com o peso e forma corporais, que podem levar a um isolamento social;
  • Prática de exercícios exageradas;
  • Saídas ao banheiro após as refeições;
  • Mal estar intestinal (diarréia) com frequência;
  • Comer escondido ou estocar alimentos;
  • Ter “mania” de fazer dieta ou estar sempre fazendo mais uma nova dieta.

 

Como na anorexia nervosa o tratamento na bulimia nervosa é multidisciplinar, e deve ser iniciado o quanto antes, para que melhores resultados sejam alcançados.

 

Top
Faça Contato
Grupo de Apoio

Gostar-se | Grupo de Apoio

 
E-mail

contato@gostar-se.com.br